"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

27.4.13

Era Teu cheiro

Havia um cheiro agradável de perfume no ar
que me arrepiou a pele, aguçando os meus sentidos.
Fechei os olhos, aprofundei a respiração,
e me deixei inebriar por aquele odor.
Sorri timidamente por dentro.
O perfume, ora lembrava o frescor da manhã,
ora a chuva ao entardecer após um dia de calor.
Cheirava aconchego,
felicidade que não se adia,
exalava paixão.
Abri os olhos. Sorri amplamente por fora.
O cheiro que impregnava o ar era o cheiro da memória.
Era cheiro de você.
 

3 comentários:

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Ese Aroma que embriaga y penetra en nuestra Piel.
Precioso Poema.
Abraços.

Sophysticada disse...

Ando assim tb sentido o cheiro dele...
Ahhhhhh

Bjo Kerida

Nádia Santos disse...

Ahhh que lindo, meus aplausos! Bjus linda.

=> Gritos da alma
=> Meus contos
=> Só quadras