"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

25.5.13

Não senti nada, de tão leve que era,
foi só visualmente que tomei consciência de sua presença.
Encabulei com a delicadeza.
Eu não mexia o braço e pensei:
- "E essa agora? Que devo fazer?"
Em verdade nada fiz.
Fiquei extremamente quieta como se uma flor tivesse
nascido em mim..."