"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

23.5.13

Eu precisava de mim de novo

Eu apenas deixei que você fosse embora. 
Não quero que interprete isso como um sinal de fraqueza ou qualquer coisa do gênero. 
Deixar você ir sem relutar, sem pedir que fique, sem pedir que nos dê mais uma chance, foi a atitude que me coube naquele momento. É provável que esse tenha sido o meu primeiro sinal de maturidade. E por isso aceitei a sua decisão em me deixar. Em nos deixar. Eu apenas aceitei. E fui, sem olhar pra trás. 
Eu caminhei por aquelas ruas escuras e vazias durante uma eternidade até chegar no portão de casa. Até me dar conta de que eu também estava me deixando um pouco a cada passo, a cada curva. 
Eu estava  deixando uma história para construir outra. 
Eu estava construindo uma nova pessoa em mim. 
Eu estava sentindo. Eu estava sentida. Sozinha. 
E eu precisava daquilo. 
Eu precisava de mim de novo.
 

Um comentário:

Nádia Santos disse...

Perfeito! As vezes precisamos renunciar para ganharmos lá na frente... mas dói. Bjus

=> Gritos da alma
=> Meus contos
=> Só quadras