"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

11.5.13

Não leve a mal esse meu jeito torto de ser.
É que em matéria de sentir, sou corpo caindo no abismo.
Me jogo de braços abertos com medo e coragem.
As vezes, sou vidro embaçado, turvo.
As vezes, sou água límpida, transparente.
Não leve a mal.
Não leve tão a sério.
Sou profunda, intensa...
Sou feita de (a)mar.


Nenhum comentário: