"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

30.10.12

Quem é vivo sempre padece

Não há amor que não doa, que não faça barulho
Ele chega e põe fim a calma
É o maior vilão do sossego
Causador da inquietude
Causa dor
Invade sem dó nem piedade
Não tem pena
E a gente pena
Pena pra não sair do sério
Pra não sair de si
Pra não sair nunca mais de perto
É uma dor que todo mundo consente e sente até cansar
Fica exausto, mas não reclama
Clama, grita, implora
No amor tudo é intenso, tudo é pra ontem, tudo transborda
Os apáticos no amor que me perdoem, mas quem é vivo sempre padece. 
 

2 comentários:

Lynce disse...

Até tu me fazes padecer de tesão...e não é pouco, acredita!

Eroticamente (In) Correto disse...

Amar é viver no limite e não amar sequer é viver. Tem uma frase que eu gosto: "Todo homem morre, mas nem todo homem vive de verdade". Acho que vivem pela metade os que fogem das inquietudes do amar,...


Beijo do In_