"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

9.10.12

Linguagens do amor

O amor fala no silêncio. 
Fala no atrito das mãos dadas no meio da noite, na respiração do outro enquanto ele dorme, nas pernas entrelaçadas. O amor fala na serenidade do sorriso do outro, nos olhos que se encontram e se afagam e no abraço enlaçado. O amor fala nas linhas de expressões e curvas do corpo do outro. 
Fala na ambiguidade e na clareza dos sentidos.

 Fala na diferença dos dois. Fala quando você explode de raiva, ele te olha sério e os dois não contêm o riso, e percebem que o riso dos dois é a coisa mais cúmplice que existe no mundo. Fala quando a saudade aperta, quando o telefone toca e o coração salta, quando pela voz do outro você pode dizer se está sol ou se faz tempestade. 
Fala quando o toque do outro é melodia dedilhada na alma; quando depois de sair pela porta, ele volta, te olha nos olhos e te beija os lábios como se fosse a primeira vez. Quando sem uma palavra, ele é capaz de te poetizar eternamente num único momento.

O amor fala de muitas maneiras, mas em cada uma delas, o amor é sentido como prece.

2 comentários:

You and Me disse...

Que lindo conseguiu me fazer chorar. O amor pleno e fecundo é aquele cujo seu primeiro fruto é o prórpio amor. Lindo demais!!!
Parabéns belíssima escrita.
Beijos sempre com amor
Míìh... ღ

Everson Russo disse...

Linguagem universal a do amor,,,é o silencio que faz gritar a alma,,,beijos amiga...bela noite pra ti e ótima quarta feira...