"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

16.2.12

Avesso

Me liberta, me expulsa de mim. Mostra uma arte verdadeira, sem ensaios e apresentações semestrais. Quero perder a garantia por uso excessivo, gastar os saltos dos meus sapatos. Eu não quero nada impossível, quero realidade. Quero alma e vida de verdade.

Só vejo beleza no que transborda
Só me interesso pelo que ultrapassa
O comum não me comove, o banal não me toca.
Porque eu gosto é do avesso
e o contraditório é que me fortalece

Nenhum comentário: