"De leve...inocente...determinado...despercebido...distraído. E outra vez os arrepios...outra vez as sensações..."

27.11.12

Pensava muitas vezes na ironia. Por vezes a queria tão perto que lhe doía a alma o desejo consumia todo o pensamento. Outras vezes encolhia-se perante todas as duvidas e entraves que ela colocava. Por vezes perdem-se amores por não se quebrar a ténue barreira do medo
 No fim deixou-a, e decidiu partir. 
É que por vezes existem amores que não foram feitos para serem consumados. 
 

Nenhum comentário: